Ferramentas de Usuário

Ferramentas de Site


poco_mouros_dolmen

Poço dos Mouros (Dólmen)

Localização

Cronologia

Neolítico

Descrição

“Este monumento foi intervencionado arqueologicamente entre 2007 e 2008 no âmbito do Projeto Museu do Passado, Ecomusealização da Paisagem (Sever do Vouga), Fase II, promovido pela autarquia e executado pela empresa de arqueologia Mythica, Lda.

Os resultados permitiram definir com exatidão as características arquitectónicas deste dólmen, bem como o seu restauro e valorização. Deste modo, podemos afirmar que estamos perante um dólmen de câmara poligonal alargada de sete esteios e corredor médio ligeiramente descentrado, pouco diferenciado em planta e indiferenciado em alçado.

A câmara funerária, com 2,30m largura e 1,85m de comprimento e 1,79m de altura máxima, apresenta os esteios, em granito, imbricados. Conserva todos os esteios do lado Sul e apenas 2 do lado Norte. O corredor, aberto E.SE., com 4,40m de comprimento, possui 0,60m de largura á entrada e 1,30m junto à câmara. A altura do corredor é ligeiramente decrescente sendo de 1,42m à entrada da câmara e 1,06m junto à porta. Primitivamente seria um corredor com 16 esteios adossados, em granito, faltando um da cada lado. Conserva apenas uma tampa no corredor. Pode-se ainda adiantar que apenas o esteio de cabeceira apresentava alvéolo de fundação, estando os restantes poisados no afloramento. Todos apresentam calços de sustenção. Um aspeto pouco comum é o facto de este monumento ainda preservar a porta no local primitivo.

As escavações puseram a descoberto um conjunto de estruturas defronte ao corredor que correspondem às zonas públicas dos rituais fúnebres, do qual se destaca um átrio de com 4,30m de comprimento e 3,20m de largura delimitado por um pequeno anel lítico. Incluída neste anel de pedras encontra-se uma laje granítica fincada perfeitamente alinhada com o esteio de cabeceira. Trata-se certamente de um elemento simbólico com paralelos em outro monumentos do Centro de Portugal.

Num momento final da sua utilização, o espaço do átrio foi selado com pedras de pequeno e médio porte criando uma uniformidade com o restante volume do tumulus . Este ato ritual, igualmente atestado em outros monumentos megalíticos do Norte e Centro de Portugal, apresenta neste caso particular um dado algo inédito. Num camada intermédia desta estrutura de selagem, foram colocados quartzos leitosos cobrindo a superfície. Trata-se de mais um elemento ritual que, associado a tantos outros, transformam este espaço do átrio num local carregado de simbolismo e de misticismo.

O espólio exumado durante os trabalhos arqueológicos caracteriza-se pela presença de micrólitos geométricos e lâminas em sílex, cristais de quartzo, 2 pontas de seta também em quartzo, 1096 contas de colar, discoidais, em xisto, uma conta de coloração avermelhada cuja matéria-prima se desconhece e alguns fragmentos cerâmicos. Este pacote artefactual marcado pela sibstancial presença de micrólitos e de lâminas, contas em xisto, pouca cerâmica e poucas pontas de seta, aponta para uma fase antiga do megalitismo regional, talvez dos inícios do 4º milénio a. C.

O tumulus de tipo cairn, apresenta de eixo N/S 15,00m e de eixo E/O 16,50m e cerca de 1,60m de altura. Este dólmen encontra-se implantado numa pequena plataforma, aberta a SO, à cota média de 620m delimitada a Oeste e Este por relevos, a Sul pela quebra da curva de nivel e a Norte pela continuação da pequena esplanada, tendo, deste modo, apenas alguma visibilidade para Noroeste. O monumento encontra-se rodeado de afloramentos rochosos com os quais quase se mimetiza.”

Imagens

Vídeos

Fontes

Bibliografia

  • Bettencourt, A. (1981). “Contributos para a Carta Arqueológica do concelho de Sever do Vouga”. Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Trabalho escolar apresentado ao Instituto de Arqueologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Policop
  • Bettencourt, A. (1988). “Carta arqueológica do concelho de Sever do Vouga”. Sever de Vouga, Portugal, 250p, policop.
  • Marques,F. T., Marques, M. F. P. (2013). “Relatório científico final relativo ao projeto “Museu do Passado Ecomusealização da Paisagem, Anta do Poço dos Mouros”, policop.
  • Pêgo,M. C. C. (2002). Roteiro do Megalitismo - Legados de Sever do Vouga. Câmara Municipal de Sever do Vouga.

Ligações

poco_mouros_dolmen.txt · Última modificação em: 2020/05/11 19:09 (edição externa)