Ferramentas de Usuário

Ferramentas de Site


igreja_matriz_de_sever_do_vouga

Igreja Matriz de Sever do Vouga

Localização

R. da Igreja. Sever do Vouga. O sítio é visitável e acessível por veículo ligeiro.

Cronologia

Séc.s 16/20

Descrição

“A igreja matriz de Sever do Vouga encontra-se ligeiramente deslocada em relação ao núcleo da cidade, erguendo-se num espaçoso adro um edifício profundamente remodelado pela ação do tempo e do Homem.

O templo de Sever deve remontar aos alvores da construção da nacionalidade uma vez que ela já se encontrava identificada no catálogo das paróquias de 1320/1321. No entanto foi durante a época moderna que o templo de Sever adquiriu uma nova linguagem estética como podemos verificar pela sua fachada de linhas austeras sem grande profusão decorativa.

Na relação do bispado de Viseu, datado do último quartel do século XVII, a igreja surge dedicada a Santa Maria com sacrário e dois altares colaterais das invocações de Nossa Senhora e S. Sebastião. Por volta de 1680, o templo sofreu obras de ampliação de maneira a conseguir servir toda a população da vila e para tal foi lavrada uma escritura com o mestre de arquitetura Manuel Soares, para fazer “os acrescentamentos que se hão-de fazer na igreja de Santa Maria de Sever, concelho de Sever, comarca da Esgueira, assim de pedra como de madeira, telha, cal e ferragem que se houvesse mister para a dita obra…”. Todavia, a torre sineira necessitava igualmente de obras de remodelação, como nos deixou escrito, a 24 de Setembro de 1699, o cónego prebendado Dr. Bernardo de Figueiredo dizendo: “eu vi a torre dos sinos a ameaçar ruína, do que pode resultar quebrarem-se os sinos e ruir a própria igreja…”.

Paralelamente, em 1702, advertia-se no sentido de lajear o templo, porque grande parte dele ainda se encontrava em terra. Em 1732, o abade João Barbosa de Almeida refere que a igreja possuía três altares, o maior dedicado ao Santíssimo Sacramento, e nos colaterais encontrávamos o Cristo Crucificado e uma Nossa Senhora do Rosário. O abade João Almeida informa-nos ainda acerca da particularidade da igreja de Sever possuir três naves. As visitas realizadas nos inícios do século XIX ao templo de Sever reafirmam a necessidade de concluir a torre sineira bem como do lajeamento do piso. Entre a segunda metade do século XIX e os inícios do século XX, as obras que decorreram no templo ficaram a cargo dos mordomos das confrarias do Santíssimo Sacramento e da Senhora do Rosário, realizando intervenções no corpo da igreja e promoção da renovação dos objetos litúrgicos.

A igreja paroquial de Sever do Vouga sofreu obras estruturais entre 1966-67, correspondendo aos desígnios conciliares do Vaticano II. No capítulo arquitetónico, o corpo da igreja foi totalmente desmantelado ficando somente a capela-mor e as absides laterais, bem como alguns conjunto retabulares e respetivas esculturas respeitantes aos séculos XVII e XVIII.

Dentro de estes conjuntos destacamos o retábulo da capela do evangelho, um retábulo de transição para o barroco, onde apresenta no nicho central um Cristo Crucificado ladeado pela Virgem e por S. João. O altar da capela-mor pertencendo cronologicamente ao último quartel do século XVII, apresenta a imagem de Santa Maria da Assunção. Neste altar merece especial relevo o sacrário, de madeira talhada e dourada do terceiro quartel do século XVII, um magnífico exemplar da microarquitectura com dois andares de planta centralizada, com cobertura em cúpula e falsa lanterna onde repousa o crucifixo. O retábulo da epístola é representado por uma Nossa Senhora do Rosário e nos intercolúnios estão figurados S. Francisco e Santo António. Para finalizar, junto à cabeceira do templo, no lado esquerdo, vislumbramos um púlpito do século XVIII suportado por um atlante.”

Imagens

Fonte

Bibliografia

Ligações

igreja_matriz_de_sever_do_vouga.txt · Última modificação em: 2020/05/11 19:09 (edição externa)