Ferramentas de Utilizador

Ferramentas de Site


igreja_paroquial_de_pessegueiro_do_vouga

Igreja Paroquial de Pessegueiro do Vouga

Localização

Cronologia

Séc.s 18/19.

Descrição

“Na encosta do vale do Vouga foi edificada a Igreja do Pessegueiro do Vouga hoje em dia limitada por um pequeno adro. A origem desta igreja deve remontar ao período medieval, uma vez que ela figurava então na relação das paróquias de 1320/1321, integrada no arciprestado de Lafões.

A igreja dedicada a S. Martinho Bispo surge referenciada na relação do bispado efetuada em 1675, como possuidora de um sacrário, dois altares laterais dedicados a Nossa Senhora e a S. Sebastião, escultura datada de 1621. Das memórias paroquiais efetuadas em 1758, chega-nos a notícia do templo possuir cinco altares. Na capela-mor o altar de Santíssimo Sacramento; nos colaterais os altares da Nossa Senhora do Rosário, o do Cristo Crucificado, o do Espírito Santo e o de S. Sebastião.

Por outro lado, no século XIX, o bispo D. Francisco Monteiro Pereira de Azevedo, na visita realizada ao concelho aponta para o avançado estado de degradação do templo nomeadamente do forro da igreja, e apelava igualmente para a construção da torre sineira. Anos mais tarde, o abade de Santiago quando nomeado para visitador do Arciprestado de Lafões, e na visita à freguesia do Pessegueiro reitera a urgência na conclusão da torre sineira e da fachada que se havia iniciado entretanto.

A frontaria do templo reflete uma tendência neoclássica, nomeadamente através do portal enquadrado por duas colunas dóricas assentes sobre pedestais, coroadas por pináculos piramidais sobre quatro bolas e suportando frontão curvo. A torre sineira apresenta um registo único com pilastras nos cunhais e cimalha de friso e cornija. À entrada do templo encontramos uma galilé e ao seu lado direito apresenta-se uma pia de água benta, e no lado esquerdo, o antigo batistério com arco e teto abatidos em granito, expõe duas imagens colunas de talha dourada com querubins, carranca e motivos vegetalistas no terço, caneluras torsas e capitel coríntio, provenientes do antigo retábulo da direita.

As imagens representam S. Sebastião e S. Caetano. O interior da igreja é fruto de sucessivas remodelações alterando a traça dos períodos anteriores. As obras realizadas durante o período pós-conciliar, correspondendo à década de 70 do século XX, conferiram ao interior da igreja uma maior espacialidade. No lado esquerdo da capela-mor ficava o púlpito com balaustres torneados em madeira, e por baixo deste encontra-se a campa rasa do Benemérito Abade S. Tiago, tendo na parede ao lado uma lápide com a seguinte inscrição: O ABBADE MANOEL ANTONIO DIAS S.THIAGO TOMOU POSSE EM 21 DE FEVEREIRO DE 1807 À SUA CUSTA FEZ ESTA IGREJA. A TORRE. A PONTE DO VOUGA. E A DO RIO MAO. DEO LHE PARAMENTOS RICOS E O SINO GRANDE.INSTITUIO O LEGADO DAS MOÇAS POBRES E O DA FÁBRICA. 9 ANNOS DEO A RENDA AOS FREGUEZES. FINOU-SE RICO EM 26 DE JANEIRO DE 1827. JAZ NESTA SEPULTURA.

Ao longo do corpo da igreja foram dispostos um conjunto de quadros que representam a Via Sacra. No capítulo das artes decorativas, a igreja matriz do Pessegueiro encontra-se decorada com um diversificado conjunto de retábulos que manifestam o esplendor do período barroco através da sua talha dourada decorada englobando no seu conjunto a pintura e a escultura num domínio total da arte.”

Imagens

Fonte

Bibliografia

Ligações

igreja_paroquial_de_pessegueiro_do_vouga.txt · Esta página foi modificada pela última vez em: 2020/05/11 19:09 (Edição externa)