Ferramentas de Utilizador

Ferramentas de Site


capela_mouros_anta

Capela dos Mouros (Anta)

Localização

  • Arcas. Talhadas.
  • O sítio é visitável e acessível por veículo todo o terreno. Tem sinalética direccional.
  • Pelo sítio passa o percurso pedestre PR5SVV - Rota do Megalitismo.

Cronologia

Neolítico

Descrição

“Localizado no sítio da Portela do Carrazedo, este monumento foi intervencionado nos finais dos anos 50 do séc. XX por Albuquerque e Castro (Castro, 1958) e em 1999 por uma equipa de arqueólogos da empresa Arqueohoje, Lda (Santos et alii, 2001 e 2010-2011).

Estes estudos permitem-nos hoje caracterizar este sepulcro como um dólmen de câmara poligonal alongada, de configuração subtrapezoidal, de 11 esteios e corredor de médias dimensões com 3,90 m de comprimento. Pouco diferenciado em planta e em alçado, este dólmen apresenta ainda 5 esteios conservados na câmara e 14 no corredor. A mamoa bem conservada apresenta 18m de diâmetro no eixo este/oeste e 17,40 m no eixo norte sul. Trata-se, deste modo, de um monumento com características arquitectónicas pouco comuns no megalitismo regional.

A intervenção de 1999 permitiu colocar a descoberto as estruturas na área fronteira ao corredor que indiciam complexos rituais fúnebres neste espaço (Santos et alii, 2001 e 2010-2011). O espólio neste dólmen exumado é arcaico e reduzido, sendo constituído por micrólitos, lâminas, machados e poucos fragmentos cerâmicos. Este conjunto artefactual indicia um momento antigo do megalitismo que rondará os finais do 5º milénio (cerca de 6.000 anos).

Um outro aspeto peculiar deste monumento foi o achado de uma pedra em granito por Albuquerque e Castro no interior da câmara funerária com 13 cavidades com a forma de calotes de esferas (Castro, 1958). A funcionalidade desta peça, para já única do género, deve prender-se de certo com rituais que se efetuavam no interior do monumento. Amorim Girão refere mais dois monumentos neste lugar “Apenas nos foi possível reconhecer três grandes mamoas, com cerca de 10 m. de raio, um pouco a poente, no sítio chamado Portela do Carrazedo, (…)” (Girão, 1921: 43) cuja localização se desconhece, podendo ter sido já destruídos.”

Imagens

Vídeos

Fontes

Bibliografia

  • Bettencourt, A. (1981). “Contributos para a Carta Arqueológica do concelho de Sever do Vouga”. Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Trabalho escolar apresentado ao Instituto de Arqueologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Policop.
  • Bettencourt, A. (1988). “Carta arqueológica do concelho de Sever do Vouga”. Sever de Vouga, Portugal, 250p, policop.
  • Castro, L. A. (1958). Monumento megalítico da Capela dos Mouros (Arcas, Talhadas). “Actas e Memórias do I Congresso Nacional de Arqueologia”. Lisboa. Vol. I: 235-241.
  • Girão, A. de A. (1921). “Antiguidades Préhistóricas de Lafões”. Coimbra.
  • Leisner, V. (1998). “Die megalithgrãber der iberischen halbinsel. Der Western. Walter de Gruyter”. Berlin - New York.
  • Moita, I. (1966). Características predominantes do grupo dolménico da Beira Alta, “Ethnos”, V: 189-277, XX Est.
  • Pêgo, M. C. C. (2002). Roteiro do Megalitismo - Legados de Sever do Vouga. Câmara Municipal de Sever do Vouga.
  • Ramos, F. S. (1998). Sever do Vouga - Uma Viagem no Tempo. Sever do Vouga. Câmara Municipal de Sever do Vouga.
  • Raposo, J. (2001). Sítios arqueológicos visitáveis em Portugal. Almadan, 2ª série: 10: 99-157.
  • Santos, F. J. C. (2001). Dólmen da Capela dos Mouros (Arcas/Talhadas, Sever do Vouga, Aveiro). “Estudos Pré-Históricos”, CEPBA, Viseu, vol. IX: 145-146.
  • Santos, F. J. C., Gomes, L. F. C e Carvalho, P. S. (2001). Circuito Pré-histórico de Talhadas (Sever do Vouga), Câmara Municipal de Sever do Vouga
  • Santos, F. J. C., Perpétuo J. M., Santos, A. T. e Gomes, L. F. C. (2010-2011). O Dólmen 2 de Chão Redondo (Sever do Vouga, Aveiro): Um monumento com iconografias. Resultados dos trabalhos de escavação e restauro. Portugália. Nova Série, vol. 31-32: 5-41.

Ligações

capela_mouros_anta.txt · Esta página foi modificada pela última vez em: 2020/05/11 19:09 (Edição externa)